terça-feira, 30 de junho de 2009

Categorias de espécies ameaçadas de Extinção - IUCN

Para considerarmos uma espécie como ameaçada, não basta sabermos o número de indivíduos dela encontrados em seus hábitats de origem, esse dado não é o suficiente, além deles devem ser levados em consideração outros critérios para a classificarmos, de acordo como os padrões estabelecidos pela União Internacional para a Conservação da Natureza- IUCN, a mais antiga organização internacional de preservação do meio-ambiente, que utiliza as seguintes categorias, entre parânteses, está o código usado internacionalmente para cada uma:
Extinta (EX) - o último representante da espécie já morreu, ou se supõe que tenha morrido. Lobo da Tasmânia ( Thylacinus cynocephalus).

Extinta na natureza (EW) - existem indivíduos em cativeiro, mas não há mais populações naturais. Dromedário.
Crítica ou criticamente ameaçada (CR) - sofre risco extremamente alto de extinção num futuro próximo
. A arara-azul, a arara-azul-de-lear, o mico-leão-de-cara-preta, o mico-leão-preto
Em perigo (EN) - sofre risco muito alto de extinção num futuro próximo. O panda vermelho ( Ailuropoda melanoleuca).

Vulnerável (VU) - sofre alto risco de extinção a médio prazo. O peixe-boi-amazônico ( Trichechus inunguis).
Quase ameaçada (NT) - ainda não sofre risco de extinção, mas as ameaças sobre ela são crescentes. Onça-pintada (Panthera onca).
Segura ou pouco preocupante (LC) - não sofre ameaça imediata a sua sobrevivência
. jacaré-do-pantanal (Caiman crocodilus yacare).

Para estabecermos esta classificação, são levados em conta os seguintes critérios:
1 - Quanto a população diminuiu durante o espaço de três gerações ou qual é a projeção de declínio populacional para as próximas três gerações; 2 - Extensão de ocorrência e tamanho da área que ocupa; 3 - Tamanho da população de indivíduos maduros (prontos para a reprodução); 4 - Análises quantitativas que mostram a probabilidade de extinção na natureza nas próximas três gerações.

A causa principal do desaparecimento de espécies é a destruição dos hábitats naturais das mesmas.

Eu penso da seguinte forma, as espécies de seres vivos, estão diminuindo porque não mais possuem condições mínimas para sobreviver (área, água, alimentação, abrigo, etc) e gerarem descendentes. Se tudo isso já está faltando para determinado grupo, como fica a espécie Homo sapiens?? Afinal de contas, necessitamos de tudo que os outros seres vivos precisam e não encontram mais!! Não se trata somente de preservar um animal porque ele é bonitinho, é necessário analisar outros fatores decorrentes disso para a nossa própria sobrevivência, até porque existem outros seres vivos não tão bonitinhos, considerados bioindicadores que estão ameaçados também. Pense nisso!

Daniela Lima

Saiba mais sobre: CATEGORIAS DE ESPÉCIES AMEAÇADAS DE EXTINÇÃO E SEU SIGNIFICADO PARA A CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE

2 comentários:

Junior disse...

se a IUCN é a mais antiga, e deixou o mundo chegar a este estado, diria q ela eh incompetente. afinal, simplesmente classificar não salva as especies, ações salvam-nas. eu classifico todas as espécies como Em perigo por causa da ambição humana. mas a consciência crescente mundial talvez a abaixe a Vulnerável . . .

=*

Mimirabolante disse...

é uma pena......ainda bem que vc fez esta postagem.....vi uma reportagem e fiquei com vc de postar....me faltou tempo, tempo que vc sabiamente aproveitou.....Parabéns amiga....

Related Posts with Thumbnails