quinta-feira, 7 de maio de 2009

Gripe Suína - Relato de uma Mexicana

Tenho como leitora assídua de meu blog, uma mexicana, bombardeados com as notícias sobre a gripe suína, jornais, rádios, internet e diversos blogs, publicaram matérias sobre as causas, sintomas.Fiquei preocupada, com a Alejandra, sua família e demais mexicanos, também interessada em saber como o país esta enfretando todo este transtorno. Pedi para Alejandra, me relatar as impressões dela sobre este momento que vive o México, achei interassante que os demais brasileiros também soubessem. Getilmente ela atendeu meu pedido e um amigo argentino, residente em minha cidade me auxíliou na tradução.
Segue o depoimento de uma mexicana extremamente válido para refletirmos sobre a situação:
---------------------------------------------------------------------------------------------------------
Oi Daniela!
Tenho visto tantas coisas no meu país que o meu sentido de alerta se ascende a cada vez que sucede algo como o que estamos vivendo neste momento.
E não estou me referindo tanto à gravidade que pudera ser esta doença ou à manifestação deste novo vírus, que em primeira instância denominaram Influenza Suína, delegando a responsabilidade de ser portadores aos porcos, mas às possibilidades de uma nova engenhoca por parte das autoridades, chame-se como for ou representado por quem for.
Aqui como em outros locais, se consome com muita freqüência carne e derivados deste animal. Na minha casa consumimos, e apesar do alerta sanitário, seguimos consumindo, até o momento nem um único sintoma, contarei se isso acontecer.Também não se trata de minimizar o problema, se é que em realidade existe. Pouco tempo depois, mudaram de parecer, ao detectar que as pessoas já não estavam consumindo carne de porco, assim como o fechamento dos mercados para este produto, o que resultaria na economia de um amplo setor da população, tanto o que vende como o que consome, de tal forma, que mudaram a denominação para Influenza Humana.
Agora na rua já não nos cumprimentamos, nem olhamos. Porém, se alguém tosse ou espirra, imediatamente viramos a olhar e nos escondemos até por baixo das pedras, como para que não nos atinja o H1N1. Tenho costume de ir ao mercado a tarde. Esta semana tenho ido pela noite. Tenho encontrado inúmeros "mascarados", perdão "bocacobridos", ou com a boca e nariz cobertos; uma psicose quase geral, pois todos aqui de casa, temos sim, uma garrafa grande de gel antibactérias. Tenho repartido e usado este produto mais de dez vezes numa saída, de atemorizada que estou. Mesmo assim, algo no meu interior me diz que tudo está bem, sem casos, segundo parceiras de Jalisco e Durango com quem mantenho comunicação, são puras mentiras do governo para poder usar o fundo para emergências.
Quando pequena, minha avó narrava as situações nas quais o próprio governo expôs focos de varíola negra, invasão de gafanhoto aos semeadouros de milho, me lembro. Minha mãe tinha uma cicatriz feia no braço, pois ao acabar a vacina, tiravam aos já inoculados o pus ou matéria, segundo os anticorpos, para vacinar mais pessoas, estou te contando tal como me contaram.
Meus avós perderam tudo, campos, animais, e tiveram que migrar à cidade para continuar suas vidas, fomos muito pobres, mas seguimos em frente com vontade e muito esforço e trabalho honrado.
Acredito que sairemos desta, do que não tenho certeza é das pessoas que nos governam e deixam se levar pela ambição como em outros países de América Latina.
Não sou muito afeta a tratar estes assuntos, pois minha vida profissional a dediquei a potenciar em meus alunos atitudes positivas para a vida, com, sem e apesar das situações de caráter político. Afortunadamente consegui levar a minha familia adiante, mas essa é outra historia, para meu blog.
Só posso lhes dizer que lhes falarei com verdade de tudo o que aconteça em relação a este assunto, todos que amamos de verdade ao México, meu país, trabalharemos para seguir adiante, vocês já irão ver.
Não sei se sejam úteis minhas palavras, ou se era o que você precisava.
Como comentário te conto, faz pouco mais de quatro meses, encontraram doze corpos decapitados, em uma ex fazenda perto de Mérida, se fez tudo um circo romano com este sucesso. Falou-se de gangues e narcotraficantes. Retiraram-nos a película dos carros, ninguém saía pelas noites, vigiaram e rastrearam veículos e fizeram buscas nas casas, depois de certo tempo, tudo retornou à mais completa calma e normalidade... deixo pra vocês a conclusão.
Creio que é tempo de gerar uma nova cultura responsável, que se ocupe do que acontece em nosso já magoado mundo, não acha? Com calma e cautela, que não nos ganhe a sangue, que nossos atos os guie a inteligência e o raciocínio.

Profa. Alejandra del S. Ramírez Cárdenas
Mérida Yucatán, México.
Torço para que a situação se resolva da melhor forma, para saúde dos mexicanos que tanto tem sofrido não somente com a doença, mas também com a discriminação, pois todos os demais países ficam temorosos, podemos até compreender, todos temos medo, mas, será motivo para tanto pânico? Imagino como deve estar difícil para população mexicana entre outros que desembarcam pelos aeroportos do mundo vindos do México, complicado!
Para Alejandra, aquí está mi abrazo y gracias por la contribución y la atención a mi solicitud rápidamente. Fuerza y Salud, que salir de esta situación!
Daniela Lima
Tradução:
Manuel Baigorrí
Engenheiro de Sistemas de Informação e Tradutor
Contato:
Celular: (047)91430884

6 comentários:

Junior disse...

ahh vida eh dura, mas eh assim neh. as vezes reclamamos do nosso governo, mas tem uns piores . . .
espero q as autoridades cuidam logo da H1N1 e q as pessoas melhorem

Eduardo Meireles disse...

taí...

gostei de ler um ponto de vista diferente... qual seria mesmo a real gravidade desta doença em detrimento da ganância dos governos?

deve ser desesperador viver nesse clima de desconfiança... aqui em salvador tem chovido muito, o que é o o mínimo necessário para que eu fique resfriado... evidente, com corisa, garganta inflamada e espirrando, qual é a 'piadinha' da moda?

Iai cara, andou lá pelo México? Andou se abraçando com porco?

Embora seja piada, é o tipo de coisa q acaba incomodando... isso por ser apenas um resfriado... imagino como não se sentem as pessoas que realmente têm que conviver com o dilema dessa gripe suína...

Bem me quer Bem me quer... disse...

O Danielle,

Nao tenho me deixado levar tanto pelo noticiarios não.Espero q tudo se resolva em breve e q a tal gripe não chegue aqui.

Gosta de flores?Convido vc a conhecer meu blog q fala das flores.

Posso te linkar?

Prazer em conhece-la!

Maria Dias

Daniela Lima disse...

Devemos cuidar com as notícias, mas o governo mexicano, deve ter cuidado em suas medidas econômicas e os benefícios que dá para alguns empresários, acabei de receber está notícia divulgando pelo o ECO:

http://www.jornada.unam.mx/2009/05/05/index.php?section=opinion&article=031a1pol

CANTO EN FLOR disse...

Hola Linda!
La gratitud es la flor más elegante del amor...
Sólo vine a dejártela, y a decirte que seas muy feliz.
Cuídate mucho! Y cóplices al rescate!(aunque suene a telenovela)
Besos!

junior disse...

Olá Daniela,
Vi um twitt teu e vim conhecer seu blog. Adorei, parabéns!
Já assinei o Feed e vou voltar outras vezes.
Um beijo e ótima semana pra ti

Related Posts with Thumbnails